UOL

Coluna da Xuxa

Xuxa fala sobre seus bichinhos de estimação: "Você pode ser você na frente deles"

A apresentadora fala do carinho pelo pet, Dudu, e tantos outros que passaram por sua vida

Por Xuxa Meneghel

Recentemente, durante uma entrevista, me pediram para falar sobre um animalzinho de estimação e escolhi o Dudu, meu filho canino. Enquanto falava sobre ele, fui percebendo o quanto sou uma pessoa de muita sorte, pois sempre tive muitos bichos e, mesmo quando não eram meus, fazia de tudo para ter a energia deles por perto. Pensando nisso, passou um filme com as histórias de todos os meus pets pela minha cabeça... Me lembrei do meu primeiro cachorrinho, o Kiko, que minha mãe doou. Ela tinha pena de vê-lo viver em um apartamento tão pequeno com tanta gente e isso o fez morrer de saudades. Desse dia em diante, jurei que a partir do momento em que tivesse condições e possibilidades, estaria sempre com um bicho. Afinal, é preciso dar remédio, limpar os dentes, vacinar, cortar pelos e unhas, dar uma boa ração, levar ao veterinário... Ou seja, o custo é alto. E, além disso, eu sempre quis ter muitos animais. Aliás, já tive 54 cachorros de uma vez só, além de macacos, micos, aves variadas, lhamas, jacaré, porquinho da índia, coelhos, chinchilas... um mini zoológico!


Dudu acabou de fazer 10 anos

Por ter sido mantenedora do Ibama, os animais aprendidos, alguns até machucados, como preguiça, papagaios e macacos, iam para casa. Lá, em um espaço enorme para cuidá-los, eu tinha biólogos e veterinários. Atualmente, tenho oito cães e mais de 30 pássaros. São calopsitas, agapornis, periquitos, loris, papagaios e cacatuas. Eles vivem todos soltos. Desses bichos todos, um cachorro e três pássaros são adotados. Em Angra, tenho uma arara e um cachorro, que também são adotados. Ou seja, quase nada em comparação a tudo que já tive. Porém, verdade seja dita: não saberia viver sem essa energia. Como fico feliz em ouvir o Max, meu papagaio africano adotado dizer “bom diiiia” sempre que passamos por ele. E não importa se estamos no período da tarde ou da noite. O “bom dia” dele é muito bom. Além disso, sempre que chega alguém em casa ele diz “oi” e, depois, se despede com um sonoro “tchau”.
A única verdade é que me sinto muito bem ao lado deles. E sempre foi assim: desde pequena queria pegar bichos na rua para cuidar, rezava para tê-los e, hoje, sinto que eles também gostam de mim, pois a minha energia se confunde com a deles. Eu sou mais eu perto deles.


"Ele tem certeza de que é meu filho"

As pessoas que trabalham com a própria imagem entenderão o que direi: você pode ser você na frente dos bichos. Eles não te julgam, não querem saber da sua conta bancária, se você está ou não maquiada, gorda ou velha. Eles apenas querem você, simples assim. Estar perto deles é o maior presente e eu os amo! Claro, alguns te escolhem como alguém da família. O meu Duduzinho, por exemplo, tem certeza absoluta de que sou sua mãe e eu tenho certeza de que Deus o fez para deixar a minha vida mais leve, com mais carinhos, lambidas, sorrisos e latidos de alegria. Como sou feliz por acreditar e aceitar esse mundinho mágico que Deus fez como um lindo presente para nós humanos que temos tanta coisa a aprender com esses seres tão especiais. Eles desejam “bom dia” para qualquer um, recebem seus pais humanos sempre abanando o rabinho e com um sorriso mesmo quando o dono não olha para baixo para vê-los. Quer mais? Eles acreditam em você mesmo com todos os seus defeitos, além de te amar muito, muito, muito sem querer nada em troca.


Inseparáveis, Xuxa e Dudu já até gravaram a chamada de um dos programas da loira juntos. "Deus fez o Dudu para deixar a minha vida leve. com mais carinho, lambidas e sorrisos", diz a rainha
18/08/2017 - 15:53

Mais Notícias de Coluna da Xuxa

Notícias em Destaque

Útimas Notícias